O Presidente Iraniano, a Stuxnet e o programa nuclear

Chris Williams, no The Register:

O Presidente Iraniano Mahmoud Ahmadinejad parece ter confirmado hoje a especulação sobre a Stuxnet Worm, que terá obstruido as ambições nucleares do seu regime. Várias centrifugadoras de enriquecimento de urânio foram afectadas pelo vírus, terá dito numa conferência de imprensa. Conseguiram criar problemas limitados, a algumas das centrifugadoras, através do software instalado em equipamentos electrónicos, disse Ahmadinejad.

in Iran admits cyberattack hit nuke programme.

Se for verdade, isto só vai conhecer uma tendência: torna-se mesmo sério. E interrogo-me se será verdade porque, naturalmente, nem sempre é fácil perceber se estas declarações servem o propósito da informação ou da contra-informação.

Se assumirmos que o que foi descrito aconteceu, de facto, então estamos oficialmente no início da ciber-guerra. Sem margem para dúvidas. E devemos reforçar as nossas defesas para limitarmos o impacto de um ataque directo ou, no mínimo, para não sermos apanhados de surpresa por um efeito colateral, daqueles que podem acontecer porque um vírus não reconhece o dono...

Mais informação sobre a Stuxnet Worm? Ok. Sugiro-vos duas notas que escrevi há algum tempo, a primeira claramente optimista (ou ingénua, como preferirem): O futuro depois da Stuxnet Worm e Stuxnet Worm et al: As defesas. E ainda outra, mais antiga, sobre Guerra electrónica: Então e se fosse mesmo a sério?, onde sugiro que comecemos a endereçar esta temática o quanto antes.

PS: O Sandro Süffert mantém um post que vai actualizando com o desenrolar desta história, como deixou em comentário a esta nota, e cuja referência duplico por aqui para facilitar o acesso: StuxNet: CyberWarfare existe!