Breve história das fraudes Nigerianas e do 'phishing'

Rebecca Wanjiku, na PCWorld:

Durante a década de 90, os países Africanos mais ricos em termos de recursos — a Nigéria e o Zaire — viram os seus ditadores serem depostos do poder, facto que deu origem a uma campanha internacional de publicidade que visou, na prática, congelar as contas bancárias internacionais das suas famílias e amigos.

A campanha para congelar as contas associadas ao ex-ditador Nigeriano Sani Abacha, e ao ex-ditador Zairense Mobutu Sese Seko, conduziu ao nascimento de um tipo de burlões na Internet, que se faziam passar por membros destas famílias, com milhões de dólares que pretendiam esconder das autoridades.

Este esquema, habitualmente conhecido por "burla do pagamento adiantado1", evoluiu com o desenvolvimento tecnológico, até incluir os ataques de phishing — que utilizam websites falsos — e keyloggers2 em cybercafés, utilizados para roubar credenciais para acesso ao correio electrónico e, com isso, realizar telefonemas e enviar mensagens fraudulentas para os contactos registados nessas contas.

in The story behind the Nigerian phishing scam, um artigo interessante para quem quer conhecer a evolução deste tipo de esquemas e burlas na Internet. É especialmente importante para quem realiza acções de sensibilização sobre segurança, para reforçar os argumentos com o peso dos factos e da História.

1 Advance fee fraude, no original.
2 Keyloggers são programas de espionagem que registam os caracteres que são introduzidos num teclado, e que os enviam, subrepticiamente, para alguém algures na Internet.