Guerra electrónica: Então e se fosse mesmo a sério?

Moi-même:

Então e se fosse mesmo a sério? Estaremos nós preparados, aqui nas terras da Lusitânia, para ficar sem sistemas, sem redes de comunicação? Conseguiríamos funcionar nesse cenário? E o que significa para a população, neste tempo em que vivemos, funcionar? (...) A primeira questão que me ocorre, assim caída do espaço, é a seguinte: O que é um ataque electrónico? (...) [e] a questão que me ocorre a seguir é, provavelmente, a mais óbvia: Quem é a entidade responsável, em Portugal, por activar e coordenar os mecanismos de defesa, sejam eles quais forem, numa situação em que o País esteja a ser alvo de um ataque electrónico? Já alguém pensou nisto?

in Guerra electrónica: Então e se fosse mesmo a sério?, um artigo que acabei de escrever. Está online na secção do costume.