Ainda sobre o Ministério da Justiça: comunicado da PJ

Na PJ:

A Policia Judiciária, através da Directoria de Lisboa e Vale do Tejo, desencadeou durante o dia de ontem uma operação em que foram efectuadas buscas simultâneas a quatro residências e a uma empresa, sediadas na área de Lisboa, tendo por objectivo identificar e recolher elementos probatórios da eventual prática organizada de crimes informáticos de natureza transnacional, designadamente acesso ilegítimo, acesso indevido e dano informático, tendo sido constituídos dois arguidos, que cooperaram com a acção da Justiça.
(...)
A investigação, que já decorre há já algum tempo, reporta-se a notícias sobre eventuais fragilidades de segurança em redes informáticas do Estado Português e que teriam por base um relatório elaborado por uma empresa que fazia referência à obtenção e à posse de informação sensível de diversos organismos do Estado e empresas privadas, entre os quais o Ministério da Justiça.
(...)
A POLÍCIA JUDICIÁRIA ALERTA para o facto de, à luz da legislação vigente, constituir um ilícito criminal punido com pena de prisão qualquer acto de pretenso ou eventual teste de segurança sem consentimento expresso dos titulares e proprietários dos sistemas e das redes informáticas visadas.

in Criminalidade informática e de alta tecnologia — Operação 'Ghostbuster'.

Já tinha escrito sobre o tema há algum tempo, aqui e na mailing list ISPP. Parece-me que esta acção era previsível. E aguarda-se o desenrolar do novelo...