Razões para o SPAM? €2.700/dia por anunciar e vender Viagra...

Um negócio imparável, em franco crescimento, que vai continuar a disseminar malware, entupir as linhas de comunicação e as caixas do correio electrónico por muitos e longos anos. Segundo Asher Moses, no The Sydney Morning Herald:

Thousands of tech-savvy Eastern Europeans are earning up to $US4000 (€2700) a day for each spam campaign selling illegal penis pills, fake anti-virus software and counterfeit luxury products (...) The affiliates are paid a commission for every product they sell or for every computer they infect with malware, depending on the type of scheme (...) The products include generic drugs produced without a licence, fake Viagra, pornography, pirated software, casinos, dating services and fake Rolex watches.

A solução? Não existe uma silver bullet para este problema... Por um lado, existe claramente uma questão económica: o envio de milhões de emails é [quase] gratuito. E enquanto o risco e o custo destas campanhas for muito menor que o retorno, não existe motivação para parar; Por outro lado, enquanto existirem milhões de máquinas sem controlos de segurança adequados, vão continuar a existir sistemas vulneráveis a ataques que os transformam em zombies, pontas-de-lança para continuar a enviar mais spam.

Uma aproximação? Atribuir um custo ao correio electrónico, definir configurações de segurança reforçadas no momento da instalação dos PCs, e continuar a investir nas campanhas de sensibilização para os riscos de segurança. Se quisermos reduzir o problema, claro.

O artigo? É este: Geeks earn $4600 a day selling penis pills online.